Padre é preso suspeito de desviar mais de R$ 600 mil para festas com drogas e orgias - Jornal Diário do Curimataú
Padre é preso suspeito de desviar mais de R$ 600 mil para festas com drogas e orgias

Padre é preso suspeito de desviar mais de R$ 600 mil para festas com drogas e orgias

COMPARTILHE

 


Agora RN -

Um padre italiano foi preso suspeito de desviar R$ 620 mil dos fundos da igreja para pagar por orgias em sua casa. Francesco Spagnesi, de 40 anos, está em prisão domiciliar acusado de furto, de acordo com o jornal The Times .

As orgias, supostamente promovidas pelo padre, que atua na paróquia da comuna de Prato, perto de Florença, eram regadas a drogas, de acordo com a polícia. Além do sacerdote, centenas de pessoas também estão sendo investigadas pela possível participação nos atos nos últimos dois anos.

De acordo com o jornal, as festas geralmente envolviam o padre, seu colega de apartamento, que é traficante de drogas, e pelo menos mais uma pessoa, que eles encontravam em sites de encontros destinados a homossexuais, segundo os detetives.

As festas semanais, no entanto, envolviam grupos grandes, com até 20 ou 30 pessoas, de acordo com as investigações, que começaram após o colega de apartamento do padre importar um litro de GHB (ácido gama-hidroxibutírico) da Holanda. A substância, chamada de ‘droga de estupro’, é usada para incapacitar vítimas de violência sexual.

Em buscas no apartamento, os policiais encontraram garrafas adaptadas para funcionar como cachimbos de crack.

Além disso, um contador paroquial descobriu, nos últimos meses, que cerca de R$ 620 mil foram retirados da conta bancária da paróquia. Segundo a polícia, o dinheiro pode ter sido roubado pelo padre para comprar drogas.

Depois disso, o bispo local bloqueou o acesso aos fundos, levando Spagnesi a supostamente começar a arrecadar dinheiro da cestinha de coleta da igreja e solicitar fundos aparentemente destinados a famílias de baixa renda. De acordo com o The Times , o sacerdote conseguiu arrecadar centenas de euros com essas doações. Alguns paroquianos doaram quantias individuais de até R$ 9,3 mil.

Inicialmente, o padre teria dito que o dinheiro desaparecido dos fundos da igreja tinha ido para famílias necessitadas, e depois admitiu sofrer de dependência química.

Após ouvir sobre a prisão do sacerdote, paroquianos inciaram uma ação legal para conseguir o dinheiro de volta. Ao jornal, a defesa do padre afirmou que ele confessou o fornecimento de drogas nas festas e que vai admitir publicamente ter roubado fundos da igreja.



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.