Mulher acusada de injúria racial em banco de João Pessoa paga fiança de R$ 350 e vai responder processo em liberdade - Jornal Diário do Curimataú
Mulher acusada de injúria racial em banco de João Pessoa paga fiança de R$ 350 e vai responder processo em liberdade

Mulher acusada de injúria racial em banco de João Pessoa paga fiança de R$ 350 e vai responder processo em liberdade

COMPARTILHE



ClickPB -

O delegado Luciano Soares, superintendente da Polícia Civil de João Pessoa, informou ao Portal ClickPB, que a mulher foi posta em liberdade ainda na quarta-feira (14)

A mulher acusada de injúria racial em banco de João Pessoa vai responder o processo em liberdade, após pagar uma fiança de R$ 350. O caso aconteceu na tarde desta quarta-feira (14), no Banco do Brasil de Manaíra, na Avenida Ruy Carneiro.

Um vídeo gravado por uma pessoa que estava no banco a que o ClickPB teve acesso, a mulher grita ofensas racistas e diz que é a maior racista do Planeta Terra.

O delegado Luciano Soares, superintendente da Polícia Civil de João Pessoa, informou ao Portal ClickPB, que a mulher foi posta em liberdade ainda nesta quarta-feira (14), após assinar o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e pagar a fiança e R$ 350.

Ainda de acordo com o delegado, o vídeo em que ela aparece xingando um negro não foi apresentado formalmente à Polícia Civil. As imagens das câmeras de segurança do banco serão solicitadas para poder juntar com o vídeo e anexar no inquérito para que a acusada responda ao processo.

O valor da fiança foi estipulado pelo delegado plantonista.

A vítima identificada como Daniel gravou um vídeo relatando a agressão. No vídeo em que o ClickPB teve acesso, Daniel relata que estava no local para fazer um depósito e se deparou com a mulher questionando um dos funcionários do banco, após visualizar um cartaz de publicidade da empresa.

"Ela abordou um funcionário do banco perguntando o porquê de um negro fazendo a propaganda. Aí eu perguntei, não entendi senhora, e ela começou a me chamar de negro bandido, ladrão e outras coisas mais. Fico muito triste por ela", relatou.

Daniel ainda explicou que já fez todos os procedimentos legais, "quero ver ela provar que sou bandido", criticou.


Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.