Boletim epidemiológico aponta que há dois tipos de vírus da dengue circulando na Paraíba - Jornal Diário do Curimataú
Boletim epidemiológico aponta que há dois tipos de vírus da dengue circulando na Paraíba

Boletim epidemiológico aponta que há dois tipos de vírus da dengue circulando na Paraíba

COMPARTILHE


 

ClickPB -

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou nesta segunda-feira (31) o sétimo Boletim Epidemiológico das Arbovirores na Paraíba (dengue, zika e chikungunya). O relatório aponta que a notificação dos agravos sofreu uma queda, em relação ao mesmo período no ano anterior, o que reflete a necessidade de intensificar a notificação dos casos pelos municípios. O documento indica ainda que há dois tipos de vírus da dengue em circulação na Paraíba.

De acordo com a Gerência Executiva de Vigilância em Saúde (GEVS), responsável pela elaboração do conteúdo, a notificação do caso suspeito dispara as ações em tempo adequado e possibilita o planejamento delas no território paraibano, daí a sua importância. Até o momento foram registrados 5.186 casos  prováveis  de  dengue, 1.119 de chikungunya e 243 do  vírus  zika. As regiões com maior incidência de arboviroses são a 13ª, 4ª e 15ª Região de Saúde.

Foram registrados 19 óbitos suspeitos por arboviroses, sendo dois casos confirmados por Dengue nos municípios de Sapé e Santa Rita e dois casos confirmados por chikungunya, em João Pessoa. Foram descartados seis casos e ao todo nove ainda seguem  em  investigação. No ano de 2019, no mesmo período, foram confirmados 13 casos de óbitos, destes nove foram por dengue, 03 zika e 01 chikungunya.

É importante salientar que, durante este ano de pandemia, foi possível isolar os sorotipos denv-1 e denv-2 que circulam no estado, por meio dos testes realizados pelos municípios e processados pelo Lacen – PB. Uma Nota Técnica foi divulgada para reforçar o  mapeamento e orientar aos municípios quanto ao armazenamento e transporte do material coletado para análise.

“Mediante o cenário atual do agravo no Estado, observamos a necessidade de intensificar as coletas para isolamento viral durante o primeiro trimestre do ano vigente, a fim de identificar qual sorotipo está circulando na Paraíba”, ressalta a gerente da GEVS, Talita Tavares.

Apesar do  cenário  atual  da  Covid-19,  as  atividades  de controle  das  arboviroses  continuam  ativas tais como: sensibilizar  a  população  para  eliminação  de  criadouros do  mosquito  transmissor; manter  ativa  a  vigilância  para  notificação  dos  casos suspeitos das arboviroses; realizar coleta de material para confirmação laboratorial e para isolamento viral que identifica o tipo de dengue circulante. 



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.