Picuí completa 116 anos de emancipação política - Jornal Diário do Curimataú
Picuí completa 116 anos de emancipação política

Picuí completa 116 anos de emancipação política

COMPARTILHE
Francisco Araújo -

No próximo dia 09 de março o município de Picuí completa 116 anos de emancipação política. 
A prefeitura municipal prepara uma vasta programação cívica e social que será desenvolvida pela administração municipal com início no domingo, dia 08.

O evento contará com inaugurações de espaços públicos e entrega de bens a comunidade na área da Saúde, Educação, Assistência Social, Infraestrutura, etc. Na programação extraoficial constam atividades recreativas e esportivas, vaquejada, alvorada com a filarmônica Cel. Antônio Xavier, café com o prefeito em praça pública, corte do bolo e festa na praça de eventos, com as seguintes atrações musicais: Tony Farra, Henry Freitas e Fabiano Costa, domingo dia 08 de março.

No programa de rádio do último domingo dia 1º, o prefeito Olivânio disse que vai fazer a festa dentro das possibilidades financeira da prefeitura.

Conheça a História do Município
Os primeiros registros para a incursão da colonização de Picuí ocorreram entre 1704 e 1706, quando o Presidente da Província da Paraíba era Fernando Barros Vasconcelos. No dia 26 de dezembro de 1704, Dona Isabel da Câmara, Capitão Antônio de Mendonça Machado, Alferes Pedro de Mendonça Vasconcelos e Antônio Machado requereram, e obtiveram por sesmaria, três léguas de terra (18 km) no riacho chamado Pucuhy. Posteriormente, no início do século XIX, outras famílias que vinham dos estados vizinhos requereram e obtiveram sesmarias nesta região, onde implantaram propriedades e algumas fazendas de gado.

Entre 1750 e 1760, novas correntes de povoamento se registraram com a aquisição de algumas propriedades, que tinham sido instaladas pelos primitivos. O povoamento inicial da região ocorreu onde hoje se encontra o município de Pedra Lavrada, tendo sido construída a primeira capela em 1760. No ano de 1856, o Nordeste brasileiro foi cenário de uma terrível epidemia de cólera-morbo, que matou milhares de pessoas. Portanto, os moradores da região, assustados com a mortandade e liderados pelo Coronel José Ferreira de Macedo, decidiram recorrer ao Mártir São Sebastião e juntos fizeram uma promessa ao santo. Após constatarem que não havia mais o surto da doença, começaram a construir a capela de São Sebastião, hoje elevada à matriz de São Sebastião, padroeiro da cidade. Paralelamente à construção da capela, o Coronel construiu a primeira casa do povoado, conhecida como "A Venda Grande". Ele ocupou o cargo de fiscal e, com o seu prestígio, conseguiu trazer para o aglomerado o primeiro mestre-escola, o primeiro costureiro de roupas masculinas e o primeiro mestre de música. Dizem até que foi ele quem sugeriu o acréscimo de Triunfo ao nome de São Sebastião. Por isso, o Coronel José Ferreira de Macedo é considerado o autêntico fundador de Picuí.

No dia 3 de setembro de 1857, o Padre Francisco de Holanda Chacon, de Areia, celebrou a primeira missa e, em volta da capela, surgiu o povoado de São Sebastião do Triunfo.

Em 1874, através da Lei Provincial nº 597 de 26 de novembro, foi criado o Distrito de Paz da Povoação de São Sebastião do Triunfo. O distrito passou a chamar-se apenas de Triunfo. Mas, em 1888, quando a povoação foi elevada à categoria de vila pela Lei Provincial nº 876 de 27 de novembro, o nome passou a ser Picuhy.

O município de Picuí foi criado pelo Decreto nº 323 de 27 de janeiro de 1902, sendo instalado no dia 9 de março, a Lei Estadual nº 212 de 29 de outubro de 1904 mudou a sede do município de Cuité para Picuí. No ano de 1924, em 18 de março, Picuí passou ao posto de cidade através da Lei Estadual nº 599.

Relevo e hidrografia
O município de Picuí tem 661,657 quilômetros quadrados. O município de Picuí apresenta-se, de uma forma geral, bastante diversificado, cuja altimetria varia entre 200 e 700 metros, inserido na unidade geomorfológica do Planalto da Borborema, com drenagem temporária, representada pelas bacias hidrográficas do Piranhas e parte do rio Curimataú (à Leste). Sob o ponto de vista geológico, toda a área encontra-se sobre rochas do chamado Complexo Cristalino, um conjunto de rochas ígneas e metamórficas, existindo também, na região, resquícios de capeamento sedimentar. Devido a natureza dessa região ser de uma origem geomorfológica, geológica e hidrológica complexa, isso contribuiu para que os solos dominantes sejam pouco desenvolvidos e pedregosos (litossolos e regossolos, que estão associados a solos não-cálcicos e afloramentos rochosos.

Ecologia e meio ambiente
A região está caracterizada pelo bioma caatinga, bem expressiva, porém bastante degradada ao longo do tempo para a exploração da lenha, produção de carvão, ocupação do solo com agricultura e com pasto para a pecuária, além da mineração. Pode-se detectar também que a vegetação predominante nessa região é reflexo do solo, do relevo e do clima predominante; por isso, predomina um alto grau de empobrecimento da vegetação, constituindo-se de extratos compostos por árvores, arvoretas, arbustos e ervas que secam no período de seca.

Clima
Predomina o clima de estepe local. Ao longo do ano existe pouca pluviosidade em Picuí. A classificação do clima é BSh segundo a Köppen e Geiger. A temperatura média anual em Picuí é 24.7 °C. Tem uma pluviosidade média anual de 410 mm. O município está compreendido no Polígono das Secas, onde a precipitação de chuva anual é baixa. A incidência solar no município é alta devido ao posicionamento em relação ao eixo da linha do Equador.

Demografia
Em 2010 com o censo demográfico realizado pelo IBGE foi constatado que o município tinha 18.222 habitantes. Da população total 8.953 pessoas são homens enquanto 9.269 são mulheres; 71,31% da população é alfabetizada (12.995 pessoas); 84% dos habitantes (15.469) são católicos, 9% (1.684) são evangélicos e 7% (1069) de ateus, espíritas ou outras crenças. O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Picuí é 0,608, segundo o IBGE-2010, sendo considerado médio para os níveis de classificação do PNUD.
Fonte: Wikipédia
Prefeito Olivânio Dantas Remígio (PT)

Administração

Atualmente o município é administrado pelo senhor Olivânio Dantas Remígio, 39 anos, casado com a senhora Adriana Lucena e pai de 2 filhos menores de idade. O único Petista da Paraíba, também foi vereador em Picuí por três legislaturas e eleito prefeito em 2016 com 54,79% dos votos válidos do município ou 6.455 sufrágios por um arco de alianças que reuniu oito legendas, entre as quais o PSDB, PMDB e PP. Seu vice é o jovem Lucas Marque. 

Com uma administração voltada para o social, o petista tem grande aceitação popular na capital do Seridó Paraibano.  



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.