O que precisamos fazer para não adoecermos mentalmente frente ao isolamento interpessoal - Jornal Diário do Curimataú
O que precisamos fazer para não adoecermos mentalmente frente ao isolamento interpessoal

O que precisamos fazer para não adoecermos mentalmente frente ao isolamento interpessoal

COMPARTILHE
Daniel Macedo -

Daniel Macedo 
A regra é clara: nós não podemos nos desesperar diante de tantas notícias e situação que estamos vivenciando frente ao fenômeno pandêmico e viral do Covid-19.

O importante mesmo é criarmos estratégias e atitudes de prevenção, utilizando-nos das informações técnicas advindas dos profissionais de Saúde para todo o enfrentamento dessa realidade. Entretanto, além dos cuidados fisiológicos e higiênicos, também é necessário que cuidemos da nossa saúde mental, haja vista que essa pandemia tem nos gerado inúmeras preocupações e anseios. De fato, nesse cenário, não é de se estranhar que muita gente no mais interior está em pânico ou paranóico com tanta tragicidade. E isso não seria diferente em tempos tão bombardeados pelos noticiários da mídia mundial, que não para de repassar dados ou informações sobre os casos de contaminação. Óbvio que não podemos subestimar ou negligenciar quaisquer cuidados pessoais e por isso temos que evitar os lugares de aglomeração sociais e assim por diante, permanecendo-nos sempre nas nossas próprias casas, onde estaremos mais protegidos enquanto essa pandemia passa. Pois bem, aqui vai algumas atitudes ou dicas que, como psicólogo Clínico e educacional, avalio como importantes para lidarmos com essa situação social e enfrentamento:

A) Procuremos permanecer executando as atividades corriqueiras de casa, movimentando-se normalmente, buscando também realizarmos algumas atividades lúdicas ou de entretenimento, como por exemplo: reservando um horário diário para ouvirmos música que gostamos ou outras atividades do nosso gosto pessoal;

B) Pratiquemos momentos de oração diária para pedir a Deus que nos traga mais serenidade e sabedoria para suportarmos todo esse isolamento, buscando ler a Bíblia ou textos espirituais e motivacionais para nos possibilitar conforto e calma interior;

C) Evitemos, por outro lado, assistir demasiadamente os noticiários da TV, haja vista que eles podem alimentar ou condicionar ainda mais a nossa preocupação e estados ansiosos, estimulando também o nosso sistema nervoso central produzir mais substâncias neuroquímicas que contribuem para o surgimento do estresse e sintomas de Pânico ou quadros ansiosos;

D) Mantenhamos o pensamento positivo sem necessidade de julgamentos precipitados ou antecipados acerca dos fatos que ouvimos de maneira catastrófica e aterrorizantes, para não entrarmos em um estado de paranoia ou histeria social;

E) Qualquer situação que cause descontrole das nossas emoções e sentimentos, sem que consigamos manter o controle ou equilíbrio, importante, a busca por profissionais de Psicologia da região para receber orientações adequadas e assertivas em prol da melhor maneira de enfrentar essa adversas situações.




Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.