Bolsa Família: desigualdade de cadastros entre Nordeste e Sul impressionam - Jornal Diário do Curimataú
Bolsa Família: desigualdade de cadastros entre Nordeste e Sul impressionam

Bolsa Família: desigualdade de cadastros entre Nordeste e Sul impressionam

COMPARTILHE
FDR -

Índices não estão sendo muito favoráveis para o programa Bolsa Família. Os impactos atingem principalmente as famílias que moram no Nordeste do país. Em janeiro, as concessões do benefício foram apenas de 0,23% para as famílias pobres nordestinas.
Com uma fila grande, os dados são reflexo do registros das famílias no Cadastro Único. No Sul o número foi muito maior em comparação a região nordeste, representando a inclusão de 9,49% das famílias cadastradas no mês de janeiro e totalizando 29.308 novos inscritos.
Enquanto para a região Nordeste apenas 3.035 famílias foram liberadas, o que representa quase dez vezes menos. Além da disparidade regional, o número de famílias no Cadastro Único sem o Bolsa Família chegou a 3,5 milhões em dezembro de 2019.
Deste número total, 65% são extremamente pobres – o que representa renda por pessoa de até R$ 89 mensais. Já o restante é classificada como pobre, no qual tem renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes de até 17 anos.
O Ministério da Cidadania, responsável pela pasta, não detalhou os critérios utilizados para a incluir novos inscritos das regiões no programa. Em nota enviado ao GLOBO, destacam que a inclusão de famílias “depende da emancipação, procedimentos rotineiros de averiguação e revisões cadastrais, fiscalização, desligamentos voluntários, e, claro, disponibilidade orçamentária”.
Fazendo uma análise das concessões no mês de janeiro, o governo federal tem priorizado a região Sul, logo em seguida a região Centro-Oeste somando 6,4% das famílias atendidas. Em seguida, vem o Sudeste totalizando 3,5% dos cadastrados beneficiados.
Já o Norte teve atendimento de 6.857 famílias, representando 1,61% das 425 mil cadastradas. E, por último, Nordeste contou com apenas 3.035 benefícios autorizados, o equivalente a 0,23% da demanda.
Vale ressaltar que o nordeste brasileiro é a região mais pobre do país em questão de renda, e encara crises como a fome, dificuldade de acesso à educação e desigualdade salarial.
Bolsa Família
Criado em 2003, o Programa Bolsa Família presta assistência financeira a famílias brasileiras em situação de vulnerabilidade.
Com o intuito de garantir seu acesso à renda, a direitos sociais e a ações complementares que ampliam as possibilidades de desenvolvimento. O valor repassado varia conforme o número de membros da família, idade e renda declarada.



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter, Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.