Pelo menos três alunos teriam sido estuprados em escola particular de JP - Jornal Diário do Curimataú
Pelo menos três alunos teriam sido estuprados em escola particular de JP

Pelo menos três alunos teriam sido estuprados em escola particular de JP

COMPARTILHE
Jornal correio - 

Pelo menos três crianças teriam sido vítimas de estupros cometidos por quatro adolescentes dentro do banheiro de uma escola particular em João Pessoa. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (11) ao Portal Correio pela promotora Dóris Ayalla, da Promotoria da Infância e Juventude da Capital.
Leia também:
Segundo a promotora, o processo corre em segredo de Justiça por conta da idade das vítimas, mas ela confirmou que três vítimas dos adolescentes já foram identificadas. Porém, existe a possibilidade de outras crianças terem sido abusadas.

“Por conta da idade dos envolvidos, o processo corre em segredo, mas posso adiantar que pelo menos três vítimas já foram identificadas. Estamos investigando se outras crianças e adolescentes também foram vítimas desse crime”, disse a promotora.

Crime descoberto em maio

O estupro cometido pelos adolescentes foi descoberto em maio de 2018 e vinha sendo investigado desde então. A informação foi dada pela delegada Roberta Neiva nesta segunda-feira (11) durante entrevista ao repórter Beto Pessoa, do jornal CORREIO.
Inicialmente, três adolescentes foram apontados como suspeitos do crime e apreendidos em uma ação da Polícia Civil. Porém, conforme a delegada Roberta Neiva, um quarto adolescente também é suspeito no caso e é procurado pela polícia.

“A polícia ainda está fazendo buscas para dar cumprimento ao quarto mandado de apreensão, também contra um adolescente. O fato aconteceu em maio do ano passado e desde então vinha sendo investigado. Agora, os suspeitos estão no Centro Educacional do Adolescente (CEA) à disposição da Justiça”, disse a delegada.

O caso

Três adolescentes foram apreendidos na manhã desta segunda-feira (11), suspeitos de praticar o crime. Vítima e suspeitos estudavam na mesma escola e os abusos, descobertos pelos pais da criança, aconteceram por diversas vezes.

Em entrevista à repórter Sandra Macêdo, do programa Correio Debate, da Rede Correio Sat, o delegado Gustavo Carletto contou que o estupro, que consistiu em sexo oral e penetração, era praticado mediante ameaça.

“Foi expedido um mandado de busca e apreensão dos adolescentes envolvidos em abuso sexual e cumprimos esses mandatos hoje. O crime era praticado por ameaça e ocorria dentro de um banheiro da instituição”, disse o delegado.

Os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia do Menor Infrator e, em seguida, devem ser encaminhados para o Centro Educacional do Adolescente (CEA).

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.