Políticos precisam reagir para resolver seca na Paraíba - Jornal Diário do Curimataú
Políticos precisam reagir para resolver seca na Paraíba

Políticos precisam reagir para resolver seca na Paraíba

COMPARTILHE
Portal correio - 

Dados divulgados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) revelam que, pelo menos, 71 açudes estão com menos de 20% do volume total no estado. Desse montante, 33 reservatórios possuem menos de 5% da capacidade máxima.

A luta pela água tem sido uma reivindicação permanente da população das cidades com problemas no abastecimento. Nesses locais, muitas vezes, a única solução é recorrer a caminhões-pipa para minorar os transtornos.

Com a promessa do fim das obras do eixo norte da Transposição do Rio São Francisco ainda para este semestre, a expectativa é que em médio prazo as cidades do Sertão contempladas saiam da situação de colapso, mas essa espera é longa para quem mais precisa e já aguarda uma solução ha muito tempo.

Além disso, a parte da obra que já está concluída e compõe o eixo leste na Paraíba enfrenta problemas com a quantidade de água (vazão) que é liberada para o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão-PB.

Os desencontros constantes de informações entre o Estado e o Governo Federal não esclarecem, de fato, o que acontece para que essa quantidade liberada do rio para Boqueirão esteja reduzida.
O açude de Boqueirão ainda segue abaixo dos 23% da capacidade máxima, mesmo depois de quase dois anos de o reservatório ter recebido as águas do ‘Velho Chico’ pela primeira vez, em abril de 2017.

Atuação dos parlamentares paraibanos

A reportagem do Portal Correio entrou em contato com alguns parlamentares paraibanos para saber o que é feito junto ao Governo Federal em torno da questão hídrica no estado. A população cobra uma solução e eles podem ser a ponte para mediar a situação.

A senadora Daniella Ribeiro (PP) disse que uma das prioridades de sua agenda de trabalho em Brasília é garantir o abastecimento de água nos municípios paraibanos. Segundo ela, informações técnicas levantadas por sua equipe junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional garantem que o volume de água entregue pelo eixo leste da transposição, em Monteiro, não prejudica o abastecimento da população no estado.

Daniella disse que apesar de os dados garantirem uma tranquilidade hídrica para atender as regiões beneficiadas, considera fundamental o monitoramento rigoroso da situação para que o abastecimento não seja interrompido. “Temos que ter esse monitoramento vigilante para não permitir o que já aconteceu nos 18 municípios que recebem água do açude e que precisaram enfrentar racionamento. Continuarei acompanhando o assunto com atenção”, destacou.

Já o deputado federal Wilson Santiago, do PTB, informou já ter conversado sobre o assunto com o ministro da Integração Nacional, Gustavo Canuto. Santiago disse que já está contactando toda a bancada paraibana, juntamente com os governadores e prefeitos da região, para pressionar o governo federal a agilizar a conclusão da obra do eixo Norte da transposição. “Vamos reunir os governadores e prefeitos para pressionar o governo federal a agilizar essa obra”, afirmou.

Outros parlamentares como os deputados federais Frei Anastácio (PT) e Edna Henrique (PSDB) foram procurados pelo Portal Correio para comentar o assunto, mas não responderam às solicitações até a publicação desta reportagem.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.