Fim de ano: tempo de reencontrar familiares que moram longe - Jornal Diário do Curimataú
Fim de ano: tempo de reencontrar familiares que moram longe

Fim de ano: tempo de reencontrar familiares que moram longe

COMPARTILHE
Correio -


As festas de fim de ano são o momento certo para reencontrar os familiares. A distância, que afeta qualquer relação afetiva, deixa de existir, abrigando o carinho e conforto do lar. Esse sentimento é vivido por centenas de milhares de pessoas em todo o país, que moram longe de casa e aproveitam o fim de ano para ficar junto da família.
Esse período de reflexão, principalmente por se tratar de um período de festejos religiosos, toca no coração de pessoas, como o estudante Manoel Holanda, que mora em João Pessoa há cinco anos e viaja anualmente para reencontrar os familiares em sua cidade natal, Vicência, no interior de Pernambuco.
“Passo o ano todo contando os dias para reencontrar minha família. É muito ruim ficar longe deles, tem hora que a saudade aperta e, apesar da tecnologia ajudar a estreitar a convivência, não tem nada melhor que o carinho de casa”, disse o estudante.
Manoel contou que veio a João Pessoa porque conseguiu ingressar na Universidade Federal da Paraíba, através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2014. A família concordou com a vinda à capital paraibana, mesmo sabendo das dificuldades que ele iria enfrentar.
“Eles sempre me apoiaram nas minhas decisões. Passei no vestibular e vim estudar em João Pessoa. Gosto muito da cidade, mas as dificuldades de morar sozinho [sem os familiares] são grandes, pois não é a mesma coisa. Em Vicência existe todo um aparato garantido, e aqui tenho que me virar sozinho”, disse.

Finanças
Uma das maiores dificuldades enfrentadas por Manoel foi com as finanças. O custo de vida na capital paraibana é muito maior que em sua cidade natal, sem falar nas despesas com aluguel e transporte, gastos inexistentes quando morava em Pernambuco.
O estudante teve que entrar no mercado de trabalho, conseguindo um emprego em uma loja de departamento de João Pessoa, que tornou sua vida bem mais descomplicada, pois além da ajuda dos familiares, tem o salário para cobrir as despesas de casa.
“A questão financeira dificulta muito. Minha mãe sempre manda uma contribuição mensalmente, o que ajudava bastante, mas nutre apenas o básico. Agora que consegui um emprego, estou mais tranquilo em relação às finanças”, disse Manoel Holanda.

Reencontro com a família
Manoel viaja neste sábado (22) para a terra natal. Para quem passou o ano contando os dias para reencontrar os familiares, a ansiedade toma conta do jovem, que vai enfrentar algumas horas de estrada entre ônibus e transporte alternativo até Vicência.
“Estou muito ansioso para o reencontro de todos os natais. Viajo neste sábado e, como já é tradição, serei recebido por minha mãe e demais familiares com um almoço feito por ela. Algumas horas de viagem não são nada comparado ao carinho que recebo quando chego”, completou o estudante.

Rodoviárias lotadas
A Sosicam, empresa que administra os terminais rodoviários de João Pessoa e Campina Grande, fez uma projeção do fluxo de passageiros que deverão viajar no período do Natal, da última quinta-feira (20), até a terça-feira (25). De acordo com os dados divulgados, o número de passageiros que vão pegar o ônibus cresceu 5%, em comparação com o mesmo período do ano passado.
Segundo os dados, a Sosicam projeta que 46.800 embarques e outros 42.300 desembarques sejam realizados no Terminal Rodoviário de João Pessoa.
Os destinos mais procurados na Paraíba são Campina Grande, Sousa, Patos e Cajazeiras; já para fora do estado, as cidades mais procuradas são Recife-PE e Natal-RN.


Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.