Programa vida ativa: Idosos de Serra dos Brandões visitam o Geossítio Mina Brejuí - Jornal Diário do Curimataú
 Programa vida ativa: Idosos de Serra dos Brandões visitam o Geossítio Mina Brejuí

Programa vida ativa: Idosos de Serra dos Brandões visitam o Geossítio Mina Brejuí

COMPARTILHE
Ascom -

O Programa Vida Ativa, parceria entre a Secretaria de Assistência Social e o Banco do Nordeste, dentro do projeto "Relembrar e Viver" projeto desenvolvido pela equipe do CRAS e  coordenação das políticas públicas para os idosos, proporcionou aos idosos do Distrito de Serra dos Brandões nesta sexta, 24 de agosto, uma visita ao Geossítio Mina Brejuí, localizado a 10km do centro de Currais Novos/RN.


Neste geossítio estão situados atrativos turísticos que compõem o Parque Temático Mina Brejuí, criado em 2000 e que até 2009 já tinha recebido mais de 26 mil visitantes, entre turistas e estudantes do Brasil e exterior, com destaque para: i) os Túneis e as Galerias [passeio por cerca de 300 metros de túneis e galerias devidamente adaptados à visitação turística, onde o visitante conhece as rochas da região, podendo visualizar a scheelita com o auxílio do mineralight (equipamento usado no estudo da fluorescência dos minerais)], as chaminés (por onde passava o minério de um nível para outro da mina) e as colunas de sustentação da mina; ii) Memorial Tomaz Salustino (museu que conta a história do fundador da mina); iii) Museu Mineral Mário Porto (local com inúmeros exemplos de minerais e rochas); iv) Mirante das Dunas (dunas formadas pelo acúmulo de rejeito da mina); v) Igreja de Santa Tereza (construída na vila dos operários da mina); e vi) Gruta de Santa Bárbara (construída em homenagem à santa).



A mina Brejuí é considerada a maior minha de scheelita da América do Sul. Em Currais Novos, este minério foi descoberto ao acaso, quando o  vaqueiro José Dias aboiava o gado na propriedade do Desembargador. Tomaz Salustino. A rocha brilhante foi entregue ao  o proprietário das terras que a enviou para ser analisada no estado do Rio de Janeiro, em 1943. Depois de alguns dias recebeu o resultado da analise da rocha, confirmando que era o minério scheelita do qual se extraia o tungstênio, metal que estava sendo usado nas indústrias metalúrgicas.



Pelas proximidades com o município de Picuí, a mina Brejuí traz grandes recordações aos membros do Programa Vida Ativa, pois no auge da extração da scheelita, dezenas de garimpeiros picuienses trabalharam no local. 



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.