Jovem matou colega de trabalho para não pagar dívida, diz delegado - Jornal Diário do Curimataú
Jovem matou colega de trabalho para não pagar dívida, diz delegado

Jovem matou colega de trabalho para não pagar dívida, diz delegado

COMPARTILHE
Portal correio -
Três pessoas foram detidas no fim da manhã desta quinta-feira (23), no bairro de Tibiri, em Santa Rita, na Grande João Pessoa, suspeitas de matar um rapaz de 20 anos por causa de uma dívida. Um é adulto, tem 20 anos, e os outros dois são adolescentes.

O delegado João Paulo Amazonas disse ao Portal Correio que Washington Nascimento saiu de casa, junto com a namorada, para cobrar a dívida de uma moto que vendeu a um colega de trabalho há cerca de um ano. Por todo esse período, a dívida não foi paga, mas o rapaz sempre fazia as cobranças. Os dois trabalhavam juntos em uma oficina.

A família registrou queixa na delegacia alegando que o casal estava desaparecido após sair para cobrar essa dívida. O corpo foi achado na manhã desta quinta-feira (23) e a namorada do rapaz morto foi encontrada ferida, no mesmo local, em Tibiri. A polícia chegou até o suspeito que, inicialmente, negou o crime, mas acabou confessando e apontando dois adolescentes como comparsas. Todos foram localizados e levados para a delegacia, onde confirmaram o crime.

Segundo o delegado, o suspeito disse em depoimento que iria pagar parte da dívida em dinheiro e com um aparelho celular e chamou o rapaz para fazer a proposta. De moto, o homem foi junto com a namorada ao encontro do suspeito, na noite de terça-feira (21), mas acabou sendo morto. A jovem de 15 anos foi ferida a facadas e segue internada no Hospital de Trauma de João Pessoa, com estado clínico estável.

Conforme o delegado, os adolescentes teriam topado participar do assassinato em troca da moto – alvo da negociação que culminou no homicídio. Na casa de um dos jovens detidos, a polícia encontrou a moto usada pela vítima para ir ao encontro dos suspeitos na noite de terça-feira (21). O veículo estava sendo desmontando pelos adolescentes.

Até as 12h40 desta quinta-feira (23), o delegado disse que ainda estava reunindo todas as informações e detalhes sobre os suspeitos e por isso não pôde dar mais detalhes dos procedimentos que serão adotados contra eles.

“Um rapaz gente boa, trabalhador, meu vizinho, descanse em paz”. “Um cara trabalhador. Que mundo é esse que nós vivemos?”, disseram amigos e conhecidos da vítima nas redes sociais.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.