Em Cuité, promotoria promove audiência sobre fechamento de escolas na zona rural - Jornal Diário do Curimataú
Em Cuité, promotoria promove audiência sobre fechamento de escolas na zona rural

Em Cuité, promotoria promove audiência sobre fechamento de escolas na zona rural

COMPARTILHE
MPPB -

A Promotoria de Justiça de Cuité promoveu uma audiência com representantes da Secretaria Municipal de Educação de Cuité e pais de alunos da zona rural para discutir o fechamento de duas escolas localizadas nas comunidades Campos Comprido e Olho D´Água do Palmeira.

A audiência foi realizada na tarde da última quarta-feira (15). Nela, os representantes da secretaria de Educação explicaram que o fechamento das escolas que ainda funcionam com o sistema de multesseriação se deve ao baixo aproveitamento dos alunos. No entanto, os pais dos estudantes alegam que esse fechamento trará transtornos, já que as crianças terão que percorrer longas distâncias para estudar longe de suas residências.

O promotor de Justiça Edmilson de Campos Leite Filho presidiu a reunião e ponderou que o ideal era realocar os alunos para escolas na mesma localidade, evitando dificuldades no deslocamento. Sugeriu ainda que o Município faça um estudo prévio sobre a demanda, o número de alunos atingidos e o número de professores para viabilizar turmas seriadas.

Os representantes da secretaria disseram que a escola João Marcos Leite, localizada na Comunidade Olho D´Água do Palmeira possui apenas uma sala e dois banheiros e que seria necessário construir uma nova escola na localidade. Já a escola Pedro Viana, localizada na Comunidade Campo Comprido, é a que atende os alunos da região (com 42 estudantes matriculados), muitos deles também têm que se deslocar até ela.

A escola Domiciano de Queiroz, localizada no Distrito do Meio, seria a que abrangeria mais estudantes, por estar situada em uma área intermediária entre as duas comunidades, servindo como solução para realocar os alunos, evitando que o Município tivesse que construir uma nova unidade de ensino.

Ficou acordado que uma comissão de pais deverá se reunir com a secretaria para que se chegue a um consenso sobre o problema. O assunto será retomado em outra audiência marcada para o dia 5 de setembro, na promotoria. Na ocasião, a secretaria de Educação deverá trazer um protocolo de intenções para solucionar a situação.