Assassinato de suplente de vereador pode ter sido por engano, diz delegada - Jornal Diário do Curimataú
Assassinato de suplente de vereador pode ter sido por engano, diz delegada

Assassinato de suplente de vereador pode ter sido por engano, diz delegada

COMPARTILHE
Click PB -

Em uma coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira (17), a delegada responsável pela Operação Vicarius, Ellen Maria, disse que o suplente de vereador de Campina Grande, Anderson Maravilha, pode ter sido morto por engano. A delegada relatou que um dos suspeitos, Everton deverá passar pela audiência de custódia e que o resultado das investigações pode se dar dentro de 30 dias. Também na ocasião foram relatadas as primeiras informações sobre as prisões dos suspeitos do assassinato da vítima.

Os suspeitos foram pegos no início da manhã desta sexta (17). O pai de Everton teria ido busca-los para uma possível fuga, quando a polícia, que estava à espreita, realizou os mandados de prisão. Conforme a delegada, Everton nega o suposto assassinato.

Segundo ela, o suplente Anderson não foi morto por motivos políticos e as investigações apontam para morte por engano, já que a vítima não estava só no local do ocorrido e que os disparos poderiam ter se dado para outra pessoa. 

Ela destacou que Everton Rodrigo, o suspeito relacionado aos disparos que tirou a vida de Anderson, tem três mandados de prisão, Damião Justino, suspeito de acobertá-lo, é foragido do Rio Grande do Norte. Ambos vinham fugindo de abordagens da polícia  nos últimos meses.

Além dessas duas prisões também é investiga a participação de uma adolescente nesse crime, já que, segundo testemunhas, uma mulher e uma criança de colo estariam com Everton no momento dos disparos.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.