Mais de 180 mil crianças estão fora da escola na Paraíba, aponta PNAD - Jornal Diário do Curimataú
Mais de 180 mil crianças estão fora da escola na Paraíba, aponta PNAD

Mais de 180 mil crianças estão fora da escola na Paraíba, aponta PNAD

COMPARTILHE
Agência Rádio -


A região Nordeste do Brasil apresenta a terceira menor taxa de escolarização do país entre crianças de 0 a 3 anos de idade, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2017, do IBGE. Pouco menos de 29% das pessoas desta faixa etária estão em instituições de ensino.
Os dados da Paraíba seguem o padrão apresentado na região Nordeste. Segundo os últimos dados do Observatório do Plano Nacional de Ensino, de 2015, quase 72 mil crianças estão estudando – o que representa cerca de 28% do total de pessoas até 3 anos. No entanto, mais de 180 mil estão fora das instituições de ensino.
Ainda segundo o levantamento do Observatório, 64,3% das creches paraibanas são da rede pública de ensino, frente a 35,7% da rede privada.
Os recursos do programa Brasil Carinhoso, criado em 2012 com o intuito de ampliar o acesso de beneficiários do Bolsa Família à creches, caiu drasticamente. O orçamento de 137 milhões de reais aprovado no ano passado foi reduzido para R$ 6,5 milhões em 2018. A diferença é grande quando comparada ao investimento no ensino superior – somente o Ministério da Educação investiu mais de 79 bilhões de reais em 2017.
Segundo o especialista em educação e professor da Universidade de Brasília, Célio Cunha, há uma defasagem histórica em relação aos investimentos nos graus de ensino. “O financiamento da educação básica não manteve o mesmo dinamismo do ensino superior, sobretudo na década de 1970, quando o governo brasileiro fez um grande investimento nas universidades federais”, disse.
O estudo do Observatório do Plano Nacional de Ensino apresenta ainda a evolução da porcentagem de crianças de 0 a 3 anos nas escolas de 2001 a 2015. Na Paraíba, no começo dos anos 2000, quase 14% das crianças frequentavam a escola. Com variações ao longo de 14 anos, o estado atingiu o maior índice em 2015, com 28,5%.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.