Influenciador digital: na PB, nova profissão expande oportunidades - Jornal Diário do Curimataú
Influenciador digital: na PB, nova profissão expande oportunidades

Influenciador digital: na PB, nova profissão expande oportunidades

COMPARTILHE
Mais PB -

A internet e as redes sociais hoje representam um novo mundo de oportunidades. O espaço que é muito usado para lazer, também é lugar de profissionais atuarem e hoje o mercado já é amplo. Os influenciadores digitais são alguns dos que mais atuam de forma remunerada nas mídias. Na Paraíba, muita gente já vive disso.

Apesar do termo já ser conhecido, é comum pessoas não saberem do que se trata. De acordo com o doutor em psicologia social e especialista em gestão da comunicação e marketing institucional, Luis Augusto Mendes, o influenciador digital costuma usar as mídias sociais para produzir conteúdo.

“Influenciador digital é uma pessoa que está fazendo conteúdo digital, e através das mídias sociais consegue uma quantidade significativa de seguidores e esses seguidores valorizam esse conteúdo. Ele exerce influência porque tem um conteúdo que interessa a uma grande quantidade de pessoa e esse conteúdo está disponível digitalmente”, explicou ao Portal MaisPB.

O especialista ainda ressaltou que o termo é novo, mas sempre existiram influenciadores. “Nossos pais, amigos, professores, todos esses são influenciadores, porque têm conteúdo que interessa e podem influenciar outras pessoas”, conta.

É considerada profissão, mas nem todo mundo começou sabendo do que se tratava. A escritora Martinha Barreto tinha um blog onde publicava seus textos. Em 2014 reformulou a plataforma e começou a ter mais visibilidade.

Hoje, só no Instagram Martinha tem mais de 57 mil seguidores. Lá, a blogueira publica textos, fala de moda, divide sua rotina e com as parcerias com lojas e marcas consegue pagar as contas no fim do mês. Tudo com muito malabarismo, já que escritora também faz curso de Engenharia Civil na Universidade Federal da Paraíba.

“Meu curso é integral e eu tenho que conciliar. Tenho ensaios fotográficos para marcas, tenho provas para fazer e vou me virando para vencer os empecilhos. Divido meu tempo, estudo de madrugada e assim vai”, conta ela ao Portal MaisPB.

A escritora, blogueira de moda e futura engenheira também sonha em se formar em medicina e publicar um livro. Com tantas atribuições, ela critica preconceito.  “As pessoas acham que é um mundo fútil, elas não conhecem, não sabem o que é. Eu nunca deixei de estudar para estar aqui. Muita gente acha que só está aqui quem é patricinha, eu não sou. Sou filha de caixa, não tenho muito dinheiro”, desabafa.
Quem também reclama do julgamento das pessoas é a blogueira de moda Vanessa Targino. Formada em Moda, e com mais de 57 mil seguidores, ela vê intolerância como problema. “Muita gente não respeita o trabalho, acha que estamos brincando. Muita gente não sabe que essa é uma profissão que já é reconhecida como todas as outras. Isso é uma coisa muito triste”, contou.

Atualmente, a rotina é dedicada às fotografias, presença em eventos, inauguração de lojas. Ela chegou a trabalhar com produção de modas, mas a demanda nas redes sociais consome o tempo da jovem.

Esse profissional das mídias sociais costuma dar dicas de roupas, lugares, cursos, indicar marcas e até dar descontos em determinadas compras. O psicólogo Luís Augusto Mendes garante que essa relação pode inclusive levar ao consumo de certos produtos.
“A partir do momento que o influenciador digital é referência para o seguidor, o que ele diz passa a ser importante e afeta inclusive o comportamento da pessoa. Eles influenciam e direcionam o consumo da pessoa”, analisa.

Vanessa tenta driblar consumismo e passar recado aos seguidores. “Mostro como ele pode conseguir consumir um produto de maneira barata. Trabalho com marcas de fácil acesso, eu gosto do consumo consciente”, admite.
Não é preciso seguir padrões para agradar o público. A influenciadora Hiane Luiza acredita que seu jeito foge do convencional. “Geralmente as meninas são bonitinhas, comportadas, e eu sou muito desinibida, espontânea, louca”.
Sempre descontraída, Hiane cumpre todo o protocolo das profissionais da área: vai para encontros, anuncia marcas e interage com seguidores. Ela ainda tem canal no Youtube, onde fala sobre maquiagem, cabelo e divide mais da vida.
A paraibana começou no Instagram de forma despretensiosa, já Ágatha Andrade sempre amou o mundo das fotos. Ao Portal MaisPB, a digital influencer contou que desde criança gostava de moda e maquiagem, assuntos que sempre estão em alta nas redes.
Com 120 mil pessoas que acompanham seu trabalho, ela diz que a melhor parte é o carinho dos seguidores. “Minha relação com eles é muito boa. As vezes eu estou muito pra baixo, e alguém conversa comigo, diz que se inspira em mim. Isso é muito gratificante, me deixa feliz demais”.
Formada em Fisioterapia, os planos do futuro incluem sua nova profissão. Ágatha deseja abrir uma loja e lançar sua marca. Até lá, ela segue colhendo os frutos de seu trabalho, dos quais ela destaca sua independência financeira.
 Dicas para quem quer se tornar influenciador digital

As influenciadores digitais dão dicas para quem tem vontade de seguir profissão.

Martinha ressalta que uma influenciadora precisa ser autêntica. “Tem que ser você mesmo”, aconselha.

Vanessa acha importante analisar todo o universo antes de seguir profissão. “A pessoa deve estudar muito, pesquisar, se inspirar em influenciadores que conhece, entender mais sobre fotografia e edição de vídeo”, conta.

Hiane concorda com as duas e completa: “É preciso produzir conteúdo que tem a ver com você”.

Ágatha diz que persistência é fundamental. “No início vai ter muita porta na cara, mas se você ama, consegue conquistar seu espaço”.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.