quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Moradores do Distrito de Seridó fazem protesto pela falta d`água

São Vicente Agora –

Moradores de Seridó, distante 9 km de São Vicente, fecharam a PB 177, a Rodovia do Minério, durante a tarde desta terça feira (17) em protesto contra a falta d'água na cidade. Gritando palavras de ordem: "queremos água" e segurando baldes e cartazes, os moradores interditaram a rodovia com pneus, paus e atearam fogo.

Desde o final da tarde e o início da noite, apenas um veículo de passeio, que seguia para a cidade de Pedra Lavrada - PB com uma mulher que estava cirurgiada, conseguiu permissão de passar por intermédio da Polícia Militar e da reportagem do São Vicente Agora. Os moradores ainda hostilizaram um funcionário da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA), pedindo para que ele fosse retirado da coordenação da empresa no município. Uma manifestante chegou a chamá-lo de irresponsável.

Os moradores alegam que desde o fim do racionamento no Açude Epitácio Pessoa (Açude de Boqueirão) as demais cidades da região que são abastecidas pelo manancial tem água, já em Seridó o líquido chega com dificuldades só na parte baixa da cidade, mas as contas de água chegam mensalmente para serem pagas, mesmo não havendo água nas torneiras.

Em conversa com a reportagem do São Vicente Agora, a jovem Alane Ferreira informou que precisou viajar para São Paulo e pediu desligamento da água em sua residência, só que para a sua surpresa, mesmo ela tendo protocolado o pedido de desligamento, a companhia continuou emitindo o boleto e a dívida se acumula sem ela ter consumido água.

O Pastor Elier, da Igreja Assembleia de Deus de Seridó, estava no local e apoiou o protesto. Segundo o pastor, a população demorou demais para fazer o protesto.  Ainda de acordo o líder religioso, a comunidade tem sofrido com a falta de água e não há ninguém que procure resolver este descaso com o povo.

Carla Cordeiro, que trabalha na Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, disse à nossa reportagem que existe um grande surto de diarreia em Seridó, tanto em crianças como em adultos, e que, possivelmente, esta diarreia seja por conta da água de um poço que a população utiliza para ingestão e demais gastos sem que haja tratamento.

Indagada por nossa reportagem, Carla ainda afirmou que alguns agentes de saúde estão sem entregar o cloro para tratamento da água, o que poderia amenizar o surto de diarreia e vômito na cidade. A dona de casa Suênia Sheila afirmou ao São Vicente Agora que em sua residência toda a sua família sofreu com esse surto. Ela ainda disse que precisa desembolsar cerca de R$ 20,00 para comprar 500 litros de água que são retirados deste poço, que tem abastecido Seridó

A população também solicita que o Departamento de Estradas e Rodagens da Paraíba (DER- PB) construa um quebra molas no local para que provoque um controle de velocidade dos caminhões e outros veículos que trafegam pela rodovia naquele trecho.

A redação do São Vicente Agora entrou em contato com a assessoria de comunicação da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA) para saber a posição da empresa sobre o problema dos moradores de Seridó, mas até o fechamento desta matéria a assessoria não havia nos mandando respostas sobre as indagações.

O protesto foi encerrado e a rodovia liberada por volta das 7 horas da noite. Viaturas da Polícia Militar estiveram acompanhando todo o movimento, que foi pacífico do início ao fim. Os moradores afirmaram que, caso o problema da falta d'água não for solucionado, em breve eles voltarão a fazer uma nova manifestação.





Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.



COMPARTILHE