quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Remédio contra leucemia chega ao Brasil

Só Notícia Boa –


Chegou ao Brasil um medicamento inovador para tratar casos graves de leucemia, aqueles que reincidem. A droga chamada "Blinatumomab" é conhecida como "Blincyto". Ela tem tecnologia de ponta para ativar a defesa do próprio organismo do paciente e assim destruir as células tumorais. A molécula se liga à célula tumoral e à célula imune do paciente, fazendo que o tumor seja destruído pelo sistema imune do próprio paciente. Em julho, o medicamento teve o preço aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, agora, a droga passou a ser comercializada no País.

Planos cobrem

O remédio é coberto por planos de saúde. Um paciente do Hospital São Camilo Cura d’Ars, em Fortaleza (CE), foi um dos primeiros a receber a droga, depois que ela passou a ser comercializada. Outros 58 pacientes, porém, já haviam sido beneficiados desde 2015 dentro do Programa de Acesso Expandido da Anvisa, que antecipa o fornecimento de algumas drogas inovadoras de modo restrito, mesmo antes de sua aprovação final no País.

Melhora rápida

Segundo o responsável pelo tratamento do paciente no Hospital São Camilo Cura d’Ars, em Fortaleza (CE), e pós-doutor em hematologia, Ronald Feitosa Pinheiro, o medicamento é indicado para o caso do paciente em questão. Ele é reincidente, sem opções de tratamentos. O tratamento foi iniciado na última sexta-feira, 1º de setembro, e o paciente já demonstra sinais de melhora. Segundo Pinheiros, “as ‘células ruins’ caíram de 60 mil para 4 mil”. A duração total do tratamento é de 28 dias. Podem ser realizados, conforme indicação em bula, até 5 ciclos, dependendo da resposta do paciente e da decisão do médico. Por meio de nota, a Amgen, que produz a droga, alertou que o tempo de tratamento ainda é curto para falar em melhora.

“A Amgen fica muito satisfeita em saber que, na percepção do médico responsável, o paciente já vem apresentando sinais de melhora. Porém, apesar do índice apontado como sinal de melhora – contagem de células tumorais – ser um dos indicativos de resposta ao tratamento, este é um período muito curto para medir e confirmar o sucesso da terapia”, informou a empresa.

O remédio

De acordo com o laboratório Amgen, que produz a droga, trata-se de um anticorpo monoclonal. A empresa diz que ele é indicado para tratamento da Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA), de precursores de célula B, recidivada ou refratária, em adultos.




Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.



COMPARTILHE