quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Pirâmide financeira gera prejuízo de até R$ 5 milhões a 300 vítimas na PB

G1 –

Dezesseis pessoas foram indiciadas por envolvimento em esquema de pirâmide financeira, lavagem de dinheiro e associação criminosa na Paraíba. O delegado Lucas Sá explicou que o prejuízo confirmado é de R$ 3 milhões no estado, mas pode chegar a R$ 5 milhões. Há cerca de 300 vítimas confirmadas, mas muitas se continuam sendo enganadas pois os cabeças da pirâmide prometem ainda devolver o dinheiro, segundo o delegado.

A Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF) concluiu nesta quarta-feira (6) as investigações referentes à pirâmide financeira que envolve negócios esportivos e entregou à Justiça no mesmo dia. De acordo com o relatório, a cota para entrar no negócio era de R$ 6.750 e os cabeças prometiam um retorno mensal de R$ 2 mil por um período de um ano, desde que indicassem mais pessoas para o negócio. 

Essa prática, segundo o delegado, já caracteriza o crime de pirâmide financeira. “Tem gente que investiu de 50 mil até 100 mil neste negócio”, disse o delegado. Motos e carros foram entregues à empresa como garantia de pagamento da cota, segundo o relatório da DDF. Um vítima entregou uma Honda CB300, no valor de R$ 8 mil - que era seu único bem - a um dos cabeças como garantia de pagamento da cota. O documento diz que o líder se negou a assinar um contrato de entrega do veículo alegando que tudo seria formalizado com o sistema da pirâmide.

Depois de um tempo, quando as vítimas perceberam que não iria haver retorno financeiro a partir daquele investimento, começaram a questionar a verdade do que foi prometido. Procuraram os cabeças, disseram que iam registrar boletins de ocorrência e foram à delegacia.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.



COMPARTILHE