terça-feira, 12 de setembro de 2017

Funaro acusa Temer de autorizar caixa 2 à campanha de Chalita

Notícias Ao Minuto –



Em seu depoimento no acordo de delação premiada, o corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro disse ter presenciado em 2012 um telefonema no qual o então vice-presidente Michel Temer autorizou pagamentos eleitorais como um "pedágio" por liberação de créditos da Caixa Econômica Federal.

Segundo a Polícia Federal, em determinado momento de negociações com o corretor para liberação de recursos de um fundo público de investimento, o empresário Henrique Constantino, da empresa aérea Gol, pediu uma prova de que os recursos destinados à campanha de Gabriel Chalita (PMDB-SP) à Prefeitura de São Paulo, em 2012, seriam de fato um pedido de Temer, hoje presidente da República.

A PF divulgou a informação de que os valores para os pagamentos teriam sido levantados por Funaro com Constantino e que foram gerados pelo "adiantamento de valores decorrentes de negócios escusos que este tinha com Funaro para a liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal".

Constantino então pediu que fosse comprovado o pedido de Temer e prontamente Funaro disse que acionou o então deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "Em poucos minutos", diz Funaro, "o próprio vice-presidente Michel Temer teria ligado diretamente para Henrique Constantino agradecendo a disposição para realizar a doação".

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.



COMPARTILHE