quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Morte de paraibano no Rio de Janeiro repercute em toda a mídia nacional

Polêmica PB –


O “Jornal Extra” repercutiu a morte do feirante paraibano Sebastião Sabino da Silva, de 46 anos, que foi assassinado na última terça durante um tiroteio no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O feirante Sebastião Sabino da Silva, de 46 anos, morto nesta terça-feira durante um tiroteio no Jacarezinho, na Zona Norte da cidade, veio da Paraíba para o Rio, há 26 anos, em busca de uma vida melhor. De acordo com a cozinheira Luzia Sabino da Silva, de 40 anos, irmã de Tião, como era conhecido na comunidade, além da barraca de frutas ele tinha um pequeno mercado e um depósito de gás. Sebastião deixa sete filhos e cinco netos.

— Meu irmão era um homem trabalhador, que só pensava nos filhos. Acordava de madrugada para comprar frutas no Ceasa. Trabalhava todos os dias na Praça 15 (praça principal do Jacarezinho). Todos conhecem ele na comunidade. Fiquei revoltada quando disseram na internet que ele era traficante. Meu irmão nunca se envolveu com isso — desabafa Luzia.

A auxiliar de limpeza Ivanilda de Lima Nascimento, de 34 anos, que foi casada com Tião e é mãe de três filhos dele, conta que policiais impediram que outros moradores prestassem socorro.

— Ele estava saindo do depósito de gás quando foi atingido, em um beco. Tentaram socorrer ele, mas os policiais não deixaram. Ficou uns 20 minutos agonizando no chão — conta Ivanilda.


Sebastião foi levado para a UPA do Engenho Novo, mas chegou na unidade já sem vida. O laudo da morte indicou que ele foi atingido no peito, mas a bala transfixou o dorso e atingiu também seu braço. Na tarde desta quarta-feira, parentes aguardavam no Instituto Médico-Legal pela liberação do corpo. O enterro deve ser nesta quinta-feira, às 16h, no cemitério do Caju.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.



COMPARTILHE