sábado, 15 de julho de 2017

Foguete chinês que está caindo na Terra é observado no céu de JP; confira fotos e vídeo

Gustavo Medeiros -

O corpo do foguete chinês Chang Zheng 3B foi registrado passando sobre a cidade de João Pessoa, na Paraíba, na madrugada dessa sexta-feira (14). 
O registro foi feito por observadores da estação JPZ1/PB (localizada no bairro Brisamar, na Zona Leste da Capital), da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon). Comente no fim da matéria e veja vídeo e fotos abaixo.
Segundo o astrônomo Marcelo Zurita, membro da Bramon e da Associação Paraibana de Astronomia (APA), o foguete, catalogado com o NORAD 41726 (número do rastreamento em catálogo de objetos em órbita), foi lançado há pouco menos de um ano, no dia 6 de agosto de 2016, no Xichang Satellite Launch Center, na China. A reentrada dele na atmosfera está prevista para ocorrer no próximo dia 23 de julho, às 19h20 (horário universal – hora do Meridiano de Greenwich, sem horário de verão, ou três horas a mais que o horário de Brasília), entretanto, conforme alertou Marcelo, nesta passagem registrada pela estação em João Pessoa, ele estava 7 minutos e 32 segundos adiantado em relação ao horário calculado com base na medição feita no dia anterior, o que pode indicar que ele está perdendo altitude mais rápido do que o esperado.
“No momento desse registro, ele estava muito próximo do seu perigeu (ponto em que está mais próximo do planeta), onde passou a menos de 180 km da superfície da Terra. Nessa altura, e em uma velocidade de apenas 27 mil km por hora, ele não é capaz de ionizar a atmosfera e produzir luminosidade (queimar durante a reentrada)”, explicou Marcelo, acrescentando que, na imagem registrada, o foguete brilha porque reflete a luz do Sol que já iluminava a atmosfera naquela altitude.
“A variação de brilho ao longo da trajetória indica que o objeto estava girando, o que é normal para qualquer lixo espacial. Geralmente, uma volta completa gera dois flashes, mas nessa imagem é possível ver um flash menor entre os dois primeiros flashes, certamente por conta de uma terceira superfície menor que refletiu a luz solar durante a rotação. Ignorando esse flash menor, o período dos dois primeiros flashes é de 2,785 segundos, o que indica que o objeto está girando em órbita a 21,54 rotações por minuto”, concluiu o astrônomo.
O equipamento que a estação JPZ1/PB da Bramon utiliza para captar esse tipo de cena é simples e corresponde apenas a uma câmera de vigilância, semelhante às usadas em bancos e outros estabelecimentos, tendo ela sensibilidade para o registro de imagens com ausência de luminosidade.

Quem quiser acompanhar os últimos momentos de ‘vida’ desse objeto, pode acessar este link


Confira vídeo do registro do abjeto sobre João Pessoa:

 

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com,  siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.

COMPARTILHE