sexta-feira, 23 de junho de 2017

MPF, TCU e CGU serão acionados para investigar caso dos codificados

ParaíbaRádioBlog -

A existência de trabalhadores “codificados” (não têm qualquer vínculo legal no Estado ou direitos trabalhistas, e recebem pagamento mensal com o CPF) foi ignorada durante anos, mas agora eles estão no centro do debate político e administrativo, motivando inquéritos na Polícia Civil e Polícia Federal, e denúncias ao TCU, CGU e MPF. 
Quem primeiro investigou os “codificados” foi o Tribunal de Contas do Estado, que em julgamento em dezembro passado deu prazo de 180 dias para o governador Ricardo Coutinho tirá-los da ilegalidade sob pena de ser penalizado na análise das contas de 2017, informa coluna da jornalista Lena Guimarães desta quinta-feira (22), publicada no Jornal Correio da Paraíba.
 O Sindifisco, em busca de respostas para as alegações do Governo de falta de recursos para reajuste dos servidores efetivos, solicitou a lista dos “codificados”e seu custo, ao TCE, para saber se os recursos estavam tendo outra destinação. 
A publicação dos nomes e salários, informados pelo TCE, levou vários desses trabalhadores a questionarem os valores, pois receberiam menos. Em meio a repercussão, o governo disse que a lista foi alterada e o governador Ricardo Coutinho mandou a Polícia Civil investigar fraude. 
O presidente do Sindifisco, Manoel Isidro foi chamado a depor na Polícia Civil, que é subordinada ao governador. Lá, disse que repassou à imprensa as informações conforme recebeu do TCE. Na planilha consta como “Valor total da Produtividade” R$  15,6 milhões e como “Valor Total da folha dos Codificados” R$ 23,8 milhões, para 8.587 nomes. 
Como tem dinheiro do governo federal na Saúde, onde estão os “codificados”, Manoel Isidro decidiu levar o caso para a Polícia Federal, a quem entregou toda a documentação que recebeu do TCE, inclusive o CD original com os dados, mais e-mails de “codificados”. Antes, tirou cópias autenticadas para levar ao MPF, TCU e CGU, para que também analisem a legalidade do quadro e os pagamentos. 

Manoel Isidro não pretende carregar a suspeita de que fraudou o listão do TCE. Não se intimidou com a entrada da Polícia Civil no caso. Pelo contrário, quer tudo bem esclarecido porque pretende exigir reparação judicial. Com isso, os “codificados”, que como alertou o TCE são ameaça ao futuro dos contratantes, não correm o risco de esquecimento.  TORPEDO .
Minha gratidão por entregarem suas histórias e momentos das suas vidas para a construção do nosso partido. Para todos que nunca renunciaram ao sonho de um Brasil mais justo, comunico que continuaremos na luta e nas ruas. Viva o PT! 
Do professor Charliton Machado, ao se despedir após cumprir mandato de três anos e meio na presidência do PT paraibano.  
Trio forte 
Enquanto os adversários apostam em racha na aliança, o senador Cássio (PSDB), o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) e o vice-prefeito Manoel Júnior (PMDB) trabalham juntos em Brasília por recursos para a Capital. 
Parcerias Cássio solicitou e os três foram recebidos em audiência pelo ministro Henrique Meirelles (Fazenda), com quem discutiram reavaliação do “rating” da cidade, o que pode abrir espaços para parcerias em investimentos. 
Congelamento TJ, MP e Defensoria tentaram negociar, mas com voto contra da oposição, a Assembleia aprovou a LDO 2018 com artigo que estabelece aos demais Poderes obrigação de manter despesas nos limites de 2017. Ponto marcado A vereadora Eliza Virgínia ganhará vaga na Assembleia, mas o prefeito Romero Rodrigues, que viabilizou sua ascensão ao convocar Tovar para seu secretariado, reforça posição e garante mais visibilidade na sucessão.  ZIGUE-ZAGUE + A CCJ do Senado aprovou a PEC que permite  revogação do mandato do Presidente, após referendo solicitado por no mínimo 10% dos eleitores que votaram na eleição.  + O STF vai concluir hoje julgamento que decide sobre manutenção de Edson Fachin na relatoria e validade da delação da JBS. O placar está em 2x0 confirmando o ministro..


Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga  nossas páginas no Facebook, no Twitter,  Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.



COMPARTILHE