quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Pais de bebê com doença genética rara pedem ajuda

Redação -

O pequeno Caíque tem uma doença rara que não tem cura, (síndrome de leigh), e não existe uma forma de tratamento específico.  O bebê nasceu em Baraúna no Seridó da Paraíba, mas os pais atualmente moram em João Pessoa.

No início pensava-se em desnutrição e depois de muitas idas e vindas aos médicos veio o diagnóstico começando assim o sofrimento do pequeno Caíque. O tempo foi passando e os sintomas aparecendo ao ponto da criança passar a morar no hospital onde completou seu primeiro ano de vida. Foram cinco meses de sofrimento e de luta para sobreviver. Ninguém acreditava que o bebê tão frágil voltasse para casa. Em novembro veio à alta, mas, como ir pra casa? O custo é muito alto. A família tem um amor enorme e um cuidado especial, porém é muito difícil.  Os pais conseguirão benefício do INSS e ajuda da Prefeitura de João Pessoa com médicos, paramédicos (SAD), materiais descartáveis além de doações da família e dos amigos.
 
Caíque, atualmente encontra-se traqueostomizado dependente de oxigênio, usa máscara de venturi a 24% fazendo uso de 9 cilindros de oxigênio por semana, cada cilindro custa 200 Reais por dia, mas um empresário emprestou os cilindros e está cobrando 100 Reais . Os custos com o tratamento chegam a mais de 7.000 Reais por mês.

Tramita na justiça um pedido para que o estado forneça esse oxigênio. Mas, Caíque precisa do oxigênio para sobrevir. A família com apoio dos amigos pede ajuda nas redes sociais.

Se você puder ajudar:
Agencia: 32778 conta poupança: 1050117 - Banco do Brasil


Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo Whatsapp (83) 9 8820-0713.

COMPARTILHE