quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Vereador de Soledade é mantido sob a mira de revólver e coagido a renunciar mandato

São Vicente Agora -

Osório Guedes Policarpo Neto
O vereador eleito pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Osório Guedes Policarpo Neto, conhecido por Netinho, foi mantido sob a mira de revólver por dois criminosos na noite dessa terça-feira, 27, por volta de 23 horas, na cidade de Soledade (PB).
Segundo informações obtidas com exclusividades pelo São Vicente Agora, Netinho estava na casa de uma amiga, no Bairro Bela Vista, quando foi surpreendido por dois indivíduos de "cara limpa" em uma motocicleta.

Os bandidos chegaram à residência procurando pelo vereador, renderam Netinho e mais duas pessoas que estavam no local. Eles estavam com um documento ao qual queriam que Netinho assinasse renunciando ao cargo de vereador.

As vítimas passaram cerca de duas horas sofrendo tortura psicológica e ameaças de morte, porém não conseguiram reconhecer os meliantes. Mesmo sob ameaça, o vereador recusou assinar o documento e os dois criminosos foram embora sem levar nada da casa e nem das vítimas.

No final da manhã desta quarta-feira, 28, muito abalado e acompanhado de familiares e amigos, Netinho foi à sede da Polícia Federal em Campina Grande - PB registrar queixa sobre o ocorrido.

A polícia abriu investigação sobre o caso. A expectativa é identificar os 2 homens e saber quem tinha interesse pela renúncia do vereador, que foi eleito pela primeira vez em Soledade e obteve 424 votos, sendo o segundo mais votado nas eleições de 2 de outubro deste ano.

Netinho, que tem 29 anos, é professor formado em pedagogia. Antes do período eleitoral ocupou o maior cargo da Secretaria Municipal de Educação de Soledade. Ele faz parte da base aliada do prefeito eleito daquele município, Geraldo Moura, do Partido Progressista (PP).

 

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.

COMPARTILHE