Adolescente de Nova Palmeira precisa urgentemente de doação de plaquetas para tratar leucemia - Jornal Diário do Curimataú
Adolescente de Nova Palmeira precisa urgentemente de doação de plaquetas para tratar leucemia

Adolescente de Nova Palmeira precisa urgentemente de doação de plaquetas para tratar leucemia

COMPARTILHE
Blog NP -

A adolescente Maria Gabriela Dantas Amaral, de 15 anos, está precisando de doação de plaquetas com urgência. 

A jovem paraibana de Nova Palmeira, residente em Coronel Ezequiel, no Rio Grande do Norte, encontra-se internada no Hospital Infantil Varela Santiago, em Natal, lutando contra uma leucemia mileóide aguda, tipo M3. A enfermidade foi diagnosticada no início de outubro.

Gabi, como é carinhosamente conhecida, precisa das doações constantemente, pois após cada ciclo de quimioterapia as taxas diminuem, e só pode dar início a um novo ciclo quando tudo se normaliza.
Para a contribuição é necessário que o interessado já tenha realizado doação de sangue, sendo que, a última vez tenha ocorrido nos últimos três meses. Mas, ao contrário do sangue, que só é doado a cada três meses (mulheres) e dois meses (homens), a doação de plaquetas pode ser feita todos os meses.
Quem não conseguir doar, o sangue também serve, pois a cada oito bolsas de sangue se retira uma bolsa de plaqueta.
As doações serão realizadas no Hemonorte Dalton Cunha, na Avenida Almirante Alexandrino de Alencar, 1.800 – Tirol – Natal/RN.
Os comprovantes devem ser encaminhados para o Varela Santiago ou para a irmã ou a mãe de Gabi, Susy Amaral e Maria José Amaral, respectivamente (ver contatos abaixo).

Susy Amaral (83) 9 9627-5310 (ligação, chat ou whats);
Maria José Amaral (84) 9 8825-6167 (ligação, chat ou whats).

Como é Realizada a Doação de Plaqueta?
O nome do procedimento feito para doação de plaqueta é: aférese.
O doador agenda com antecedência a doação de plaqueta;
Ele recebe as instruções prévias sobre a doação de plaqueta;
É analisado se ele tem uma quantidade mínima de plaquetas, para obter o resultado esperado no procedimento;
É checada se a veia do doador tem um fluxo adequado para o equipamento;

Ocorre a doação de plaqueta;
O processo dura cerca de noventa minutos.
Na aférese, é retirado o sangue do doador apenas na porção necessária, recolhendo as plaquetas doadas por meio de centrifugação. Depois, são devolvidos os outros componentes sanguíneos, como o plasma e as hemácias. É assim: o procedimento filtra apenas as plaquetas.

Toda a doação de plaqueta é realizada de forma segura e livre de contaminações.



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.