sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Vivianny Crisley foi morta por gritar pedindo para retornar para casa, diz suspeito preso

Hyldo Pereira -

A Polícia Civil da Paraíba apresentou na manhã desta sexta-feira (11), o jovem Allex Aurélio Tomas, 22 anos, com sendo um dos participantes pelo desaparecimento da vendedora Vivianny Crisley, 29 anos, no dia 20 de outubro, no bairro dos Bancários, em João Pessoa, onde foi vista pela última vez. Ele negou participação no crime, mas disse que os outros dois amigos confessaram que mataram a jovem porque ela “gritava muito” pedindo para voltar para casa. Ao ver o suspeito, familiares de Vivianny o chamaram de' mostro'.

O delegado Reinaldo Nóbrega, que está responsável pelo caso, falou que Allex Aurélio afirmou em depoimento que ficou em casa e Vivianny seguiu no carro com Jobson Barbosa da Silva Júnior, o ‘Juninho’, e Fágner das Chagas Silva, conhecido como ‘Bebé’, após os quatro saírem de um bar no bairro dos Bancários, em João Pessoa. Imagens de circuito de câmera de segurança mostram a jovem saindo com o Juninho da festa.
Ao amanhecer, os jovens [Juninho e Bebé] confessaram que mataram Vivianny porque ela gritava pedindo para voltar para casa, segundo depoimento do Allex. Ele disse ainda que as roupas dos jovens estavam com manchas de sangue. Os suspeitos roubaram o celular da vendedora. O aparelho foi comprado pelo filho de um policial na ‘feira de trocas’ da cidade de Bayeux, na Região Metropolitana da Capital. 
Um corpo, que possivelmente seja de Vivianny, foi encontrado queimado e em avançado estado de decomposição na Mata do Xemxém, em Bayeux, depois de uma denúncia anônima. A cabeça estava decepada e apresentava sinais de traumatismo craniano. Um cartão de crédito e uma sandália, que pertenciam a jovem, foram encontrados perto do corpo. O cadáver está no Instituto de Polícia Científica (IPC) de João Pessoa e será submetido a exame de DNA para ter a confirmação que seja vendedora desaparecida. 
A Polícia Civil conseguiu chegar até o Allex depois que ele utilizou o celular para acessar as redes sociais. Entretanto, o aparelho foi reconfigurado o que impossibilitou a perícia de encontrar possíveis conversas entre Vivianny e um dos suspeitos.
Jobson Barbosa e Fágner das Chagas estão com mandado de prisão preventiva decretado e são considerados foragidos. Todos os envolvidos no desaparecimento da jovem respondem por roubo, segundo relato da Polícia Civil. Allex é condado por roubo e recorreu da decisão. Eles foram autuados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

O caso
A vendedora está desaparecida desde o dia 20 de outubro após, segundo familiares, sair de uma casa de shows no bairro dos Bancários, em João Pessoa. Ainda segundo a família, Vivianny Crisley teria ido junto com uma amiga a uma festa em um bar, mas não retornou para casa após ficar na companhia de outras pessoas no local da festa.


Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.

COMPARTILHE