segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Presidente da Câmara de Picuí encerra sessão ordinária aos gritos e choca a população presente


Janderye Macedo -

A comparecimento em massa do povo está fazendo completa diferença no cotidiano das reuniões ordinárias na câmara municipal de Picuí. A presidente Ednalva Dantas teve um grau de responsabilidade em deixar o ambiente tenso, pois logo na abertura da sessão começou a ler um trecho do regimento interno em que 'proíbe a livre manifestação popular' deixando claro que não podem haver vaias ou quaisquer outras formas de expressão. Mas como assim? O povo não pode se manifestar dentro do espaço que o representa? Isso é, no mínimo, inconstitucional e repulsivo pela opinião pública já que vivemos num país democrático. 


Todo o processo teve início quando a população tomou conhecimento da forma arbitrária de como os vereadores que fazem parte do bloco situacionista, ligado ao deputado estadual Rubens Germano, estão querendo fazer mudanças no regimento interno da casa legislativa ao alterar alguns termos considerados 'nada democráticos' deixando assim o povo indignado pela espécie de 'golpe político' que está se formando no local considerado como 'a casa do povo'.

Parte externa da câmara de Picuí

A sessão chegou a ser suspensa por cinco minutos, mas como ninguém arredava o pé, a presidente se viu obrigada a retomar a sessão que foi encerrada aos gritos e gestos alterados deixando todos os presentes chocados com a atitude da mesma. A primeira votação do 'golpe político picuiense' acabou não acontecendo.
O que já foi mostrado é que, até o fim desta legislatura e toda a próxima, o povo e a imprensa independente estarão presentes acompanhando tudo de perto para que saibamos quem realmente está do lado da população e quem defende interesses próprios.

Quem viver, verá!

COMPARTILHE