quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Anvisa proíbe venda de medicamento usado contra vermes

Agência Brasil –

 Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda, uso e distribuição do medicamento Albendazol 40mg/ml, que combate infecções causadas por vermes. A determinação foi publicada, nesta terça-feira, no Diário Oficial da União. 

A Anvisa indeferiu o pedido de renovação de registro feito pelo laboratório Brainfarma, fabricante do produto. A agência negou a continuidade de comercialização de todos os lotes do medicamento, determinando o recolhimento do estoque no mercado.
De acordo com o texto da publicação, os laudos de prova e contraprova, emitidos pela Fundação Ezequiel Dias, apresentaram resultado insatisfatório.
A Brainfarma informou que recorreu da decisão da Anvisa a respeito do lote B14D0370, “uma vez que análise realizada por laboratório autorizado pela Anvisa não encontrou irregularidades em amostra de controle”. O laboratório diz ainda que “em respeito ao consumidor, no entanto, a empresa recolheu voluntariamente o estoque remanescente do lote no mercado”.
A Brainfarma disse ainda que não fabricou ou comercializou qualquer lote após o cancelamento do registro do produto junto à Anvisa, que foi motivado pela falta de interesse comercial da empresa em renovar o registro junto ao órgão. Segundo a empresa, “os lotes até então fabricados e comercializados não possuem qualquer desvio de qualidade, nem representam qualquer o risco à saúde”.

Vermífugo recolhido
Em setembro do ano passado, a Anvisa havia determinado o recolhimento de um lote do medicamento Albendazol 400mg comprimido, da empresa Cimed Indústria de Medicamentos Ltda, com validade até agosto de 2016. A medida, motivada por um "desvio de qualidade", como informou a agência, e tinha validade de 90 dias.

Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.

COMPARTILHE