terça-feira, 20 de setembro de 2016

Sobre o debate que não existiu

Fabiana Agra -

Fabiana Agra advogada e jornalista
Confesso que estou deveras decepcionada! É que eu estava esperando o debate entre Renan Germano e Olivanio Remígio, candidatos a prefeito de Picuí, como a principal oportunidade de realmente ver confrontadas as ideias, projetos e vontades dos principais protagonistas dessa disputa eleitoral que, de longe, é a mais acirrada dos últimos anos.

Mas, infelizmente, onde deveriam existir ideias e propostas, reinou o silêncio advindo do tapetão, da judicialização da política, mal que já tomou conta do nosso país de tal forma que ainda não sabemos para que destino o Brasil nos levará.
Confesso que continuo deveras curiosa! É que eu estava esperando o debate entre um professor com doutorado e um professor de ensino médio, não para medir a sapiência de cada um deles, mas para perceber o que ambos tinham em comum e em diferenças para melhorarem a vida dos picuienses - porque é para isso que um debate serve, afinal! Eu não quero saber da vida pessoal de candidato A ou B, mas da sua vivência política e do seu comprometimento com a sociedade, é isso o que importa para o destino do nosso município, nesta hora. Mas - nada surpreendente -, o fascismo do "cala-a-boca que aqui quem manda sou eu" acabou vencendo a vontade de ouvir, de discordar, de concordar, de ponderar e de convencer. E no local onde deveriam ser ouvidas duas vozes, apenas uma falou, mas que continuou chamando ao debate e ao confronto de ideias.
Confesso, porém, que não estou na torcida nem jogando em qualquer dos times, porque eleições não são o mesmo que campeonato de futebol, percebam! Eu tenho a minha posição ideológico-partidária, até as crianças sabem que trabalho pela candidatura de Olivanio Remígio, mas faço isso sabendo que não há donos da verdade em qualquer instância da vida, dirá então na política! No dia 3 de outubro, independente do eleito ser Renan ou Olivânio, caminharei pelas ruas de Picuí da mesma forma que faço todos os dias, porque não serei vencedora ou perdedora, continuarei sendo uma cidadã que luta com unhas e dentes pelo lugar que escolheu para viver e para amar!


Mas, convenhamos: até o dia 29 de setembro, seja em que espaço for, esperarei pelo debate entre os dois candidatos. Porque não quero ver ou saber que um deles está sendo tachado de fujão, por este não ser o caminho a ser trilhado por alguém que deseja governar os nossos destinos pelos próximos 4 anos. Portanto, aqui o meu apelo respeitoso ao candidato Renan: vamos lá, homem! Aceita logo esse debate, não fuja ao simples confronto de ideias, porque Picuí merece muito, Picuí merece bem mais do que o silêncio e a indiferença.

COMPARTILHE