quarta-feira, 8 de junho de 2016

Casal de deficientes visuais vive linda história de amor em Nova Floresta

Rede Mais Notícias/89FM -

A reportagem do Rede Mais Notícias e Rádio 89 FM estiveram  na cidade de Nova Floresta (PB), na residência do casal Jordão Názaro da Silva, de 31 anos e Marinalva Lopes da Silva, de 46 anos. Eles mantêm um relacionamento, ambos têm deficiência visual, sendo que Marinalva não enxerga nada, e Jordão tem cerca 10% da visão.
Marinalva conta que tinha acabado de terminar um relacionamento à distância com um rapaz que também era deficiente visual, e por meio de uma brincadeira ligou para uma prima de Jordão, dizendo que queria arranjar um namorado, e essa prima de imediato passou o número de Jordão para Marinalva.
Assim, desde julho de 2015, eles se comunicam via áudios no WhatsApp e via ligações. Em agosto, eles se conheceram pessoalmente na cidade de Campina Grande, e no mês de setembro se apresentaram às suas famílias. A dupla manteve visitas um ao outro, e no mês de março, já de 2016, Jordão passou a morar na casa de Marinalva. Jordão, natural de Itaporanga, conta que desde o início já gostou de Marinalva e esperou apenas a sua transferência para cidade de Nova Floresta para poder morar junto dela. Ele é técnico administrativo concursado em uma escola estadual.
Nessa instituição escolar, ele conta que ainda encontra uma certa carência de material adaptado, fazendo uso do seu computador próprio que já é adaptado. O casal conta que consegue ‘se virar’ muito bem sozinhos. Como Marinalva conhece a cidade, eles conseguem passear tranquilamente, inclusive indo à Igreja.
A mãe de Marinalva também mora com o casal, e Marinava conta com orgulho que consegue cuidar da genitora tranquilamente com a ajuda do companheiro.
Em termos de comunicação, Marinalva diz que a tecnologia tem ajudado muito aos dois, pois já existem celulares adaptados, aplicativos que ajudam em determinadas funções e atividades do dia a dia, inclusive aplicativos para ir ao mercado e comprar produtos sozinhos, além de hoje em dia poderem encontrar muitas coisas em braile em farmácias, produtos de beleza e higiene.
Jordão conta que junto com a felicidade de estar vivendo esse amor, vem a saudade da família que ficou em Itaporanga, que visita uma vez no mês ou nos feriados.
O casal conta que não pretendem ter filhos, mas pretendem sim casar na Igreja assim que possível.



Leia mais notícias em diariodocurimatau.com, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Jornal Diário do Curimataú pelo WhatsApp (83) 9 8820-0713.

COMPARTILHE