sexta-feira, 27 de maio de 2016

Gravações revelam que, dentre os partidos, o PSDB teria firmado acordo para pagar comida e transporte de manifestantes a favor do impeachment de Dilma

JCOnline -

Partidos teriam auxiliado financeiramente a organização das
 manifestações em favor do impeachment
Foto: Wilson Dias /Agência Brasil
Gravações de conversas divulgadas pelo Portal UOl, nesta sexta-feira (27), mostram um dos três coordenadores nacionais do Movimento Brasil Livre (MBL), Renan Antônio Ferreira dos santos, fechando com partidos políticos, como o PMDB e o Solidariedade, acordos para apoio financeiros na divulgação dos protestos do dia 13 de março.


O MBL é uma entidade civil criada em 2014 para combater a corrupção e lutar pelo impeachment da presidente, agora afastada, Dilma Rousseff (PT). Nas páginas em redes sociais, o movimento se entitula como apartidário e faz campanhas para receber ajuda financeira das pessoas.
No áudio, segundo o Uol, Renan ainda diz que o MBL seria o único grupo que realmente estava "fazendo a diferença" na luta pelo impeachment. Em nota enviada ao portal, a liderança confirmou a autenticidade do áudio e que contava com o apoio de vários partidos, entres eles o DEM, PSDB, SD e PMDB.
"As manifestações não são do MBL. 13 de março pertence a todos os brasileiros, e nada mais natural que os partidos de oposição fossem convidados a usar suas redes de divulgação e militância para divulgar a data. Não houve nenhuma ajuda direcionada ao MBL. Pedimos apenas que divulgassem com toda energia possível. Creio que todos o fizeram", informa a nota.
PMDB teria auxiliado o MBL na confecção de panfletos para as manifestações em favor do impeachmetn do último dia 13 de março. O presidente da Juventude do partido informou ao site que solicitou R$ 20 mil em panfletos ao presidente da Fundação Ullyses Guimarães, Moreira Franco - que, por meio da assessoria, nega a concessão do material.
O DEM e o Solidariedade também confirmaram, por meio de nota, que atuaram em parceria com o movimento. O SD apenas disse ter ajudado na articulação das manifestações e na divulgação. Já o DEM negou qualquer tipo de apoio financeiro, explicando que estava apenas engajado na proposição do impeachment de Dilma.
O líder da juventude do PSDB do Rio de Janeiro também foi identificado em uma das conversas. Na ocasião ele fecha um parceira para custar o lanche e o transporte dos manifestantes na mobilização do dia 11 de maio, mesmo dia da votação do impeachment de Dilma na Câmara Federal.
Procurado pela reportagem do UOL, o MBL confirmou a "aproximação ao PSDB" mas não confirmou a efetividade da parceria com o partido.

COMPARTILHE