Ex-aluno do IFPB Picuí faz sucesso na web, é descoberto por editora do RJ e anuncia livro - Jornal Diário do Curimataú
Home » , , » Ex-aluno do IFPB Picuí faz sucesso na web, é descoberto por editora do RJ e anuncia livro

Ex-aluno do IFPB Picuí faz sucesso na web, é descoberto por editora do RJ e anuncia livro

Written By Diário do Curimataú on quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016 | quarta-feira, fevereiro 24, 2016

Redação com Portal Correio -

Jey Leonardo lança seu primeiro livro
Estudante conquistou 120 mil seguidores e chamou a atenção e uma editora do Rio de Janeiro


Com aproximadamente 120 mil seguidores em todas as redes sociais, Jey Leonardo, de 25 anos, estudante de Relações Públicas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), vai lançar o primeiro o livro, intitulado 'Talvez não seja tarde'. A ideia surgiu de uma proposta de uma editora que notou o sucesso do estudante nas redes sociais. A estimativa é que o livro seja lançada no fim de março deste ano.

Jey resolveu criar um perfil em uma rede social onde pudesse expor pensamentos, sentimentos, textos e até mesmo críticas sobre o mundo. O perfil @jeyleonardo virou um personagem do Twitter que conseguiu chamar a atenção de diversos internautas em apenas 140 caracteres. Este perfil foi o ponto de partida para que Jey fosse convidado a expor o trabalho em um livro completamente dele. Atualmente, além no Twitter, a ideia do Jey também migrou para o Instagram e recentemente para o Facebook.

O livro 'Talvez não seja tarde', que será lançado pela editora Multifoco do Rio de Janeiro, segue a linha da temática que Jey costuma escrever nas redes sociais, com reflexão para fazer as pessoas pensarem. 

A editora Multifoco informou ao Portal Correio que o livro de Jey já está em produção depois de passar pela avaliação da empresa.

Veja abaixo entrevista com Leonardo.

Portal Correio (PC) — Como surgiu a ideia de fazer um livro?

Jey Leonardo (JL) — Então, o livro surgiu através da repercussão do meu Twitter. O que eu escrevo acabou chamando a atenção de uma editora do RJ, que por sua vez entrou em contato comigo, propondo a oportunidade de escrever um livro. Eu não havia planejado nada. Passei a produzir o livro a partir disso, seguindo a linha que eu já costumava escrever.

PC — Quem ler o seu livro então vai estar lendo suas reflexões diárias como em um Twitter ou a obra segue outra linha?

JL — Não. A linha é a que eu escrevo (reflexão), no entanto, o livro se trata de uma história, um romance com pitadas de drama. Desenvolvi a trama seguindo o meu estilo das redes sociais: fazer as pessoas pensarem.

PC — Qual a sua opinião sobre as redes sociais, já que através dela você tem se tornado esse sucesso não só no estado como em todo o país? O que você vê de negativo e positivo nessas redes?

JL — As redes sociais trazem consigo a responsabilidade tão igual quanto a das nossas relações pessoais, físicas e reais. Acredito que tudo deva ter um limite, principalmente no que se trata de exposição. Sabendo fazer bom uso, elas não trazem problemas; sem contar que proporcionam ótimas surpresas. Conhecer pessoas, costumes, culturas. No meu caso mesmo, nunca imaginei que pessoas como a Isis Valverde, dentre outros famosos, pudessem ter acesso ao que escrevo.

PC — Você ganha algum dinheiro com a popularidade nas redes sociais?

JL — Propostas diversas já surgiram, mas até o momento eu preferi não aceitar. Depois que expandi para o Instagram e Facebook, mais pessoas se interessaram em anunciar. Recusei, porque ainda não senti que fosse válido fazer isso. Em breve terei meu site, que está em construção, aí disponibilizarei espaço para anunciantes.

PC — Os jovens de hoje sabem usar as redes sociais ou há muita futilidade e humor 'travestido' de criatividade?

JL — Acho que sabem, no geral sabem. As redes sociais para a maioria das pessoas funcionam como válvula de escape. Muitas pessoas, às vezes, demonstram o que não são. Ou são? Talvez o que esteja em evidência seja o hábito de julgar o outro e não a forma como as pessoas utilizam suas próprias redes.

PC — Você contou com a ajuda ou apoio de algumas outras páginas ou perfis no mesmo segmento?

JL — Principalmente no Instagram. Diversas páginas que costumam publicar frases de escritores, me ajudaram. Fazendo com que o alcance dos meus escritos fosse imensamente expandido. No Facebook, algumas páginas como Vozes do Brasil e Brasileiríssimos também contribuíram para o crescimento.

PC — Futuramente, quais são os seus planos? Tem novas metas a serem traçadas?

JL — Sim, várias! Pretendo, depois do site pronto, criar produtos exclusivos meus. Como também espero poder lançar outros livros. Mas a melhor recompensa é poder receber de todos os cantos deste Brasil, mensagens das pessoas agradecendo o bem que faço à vida delas. Isso não tem preço e é o que me motiva sempre a continuar escrevendo, mantendo o meu projeto.
Compartilhe em sua rede :

0 comentários:

Speak up your mind

Tell us what you're thinking... !

5 Anos fazendo jornalismo

Destaque da semana

Incêndio no lixão de Cuité causa fumaça que chega até cidade vizinha

NoticiandoPB – Na tarde desta sexta-feira (25), um incêndio foi registrado no lixão da cidade de Cuité-PB. A fumaça impressionou at...

DIVULGUE VOCÊ TAMBÉM

CREATIVE TV - 24h NO AR!

CURTA E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

Mais Acessadas

SEJA NOSSO REPÓRTER

TV: AVENTURA; ACOMPANHE

 


Copyright © 2016. Jornal Diário do Curimataú - Todos os Direitos Reservados. Grupo JM de Comunicação - Deus é Fiel
Desenvolvido Por Aluísio Silva