quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Presidente da câmara de Picuí esclarece população sobre subsídio dos vereadores

Redação –

Ednalva Dantas - Presidente da Câmara de Picuí
Em entrevista concedida a radio cenecista na manhã desta quarta-feira, 28/10, a presidente da câmara municipal de Picuí, Ednalva Dantas, esclareceu toda população acerca do debate que gira em torno dos subsídios (salários) pagos aos vereadores mensalmente.
Segundo ela, para as câmaras municipais, as prefeituras têm por obrigação realizar o repasse mensalmente para suprir as necessidades diversas no legislativo. “A prefeitura pode passar a maior crise do mundo, ela não pode reduzir lá (câmara) e isso aqui é lei”, destacou.
“Não é que tenha dinheiro demais, nós programamos as despesas da câmara com o dinheiro que nós recebemos”, finalizou. Ainda na linha de planejamento, Ednalva destacou que no início de 2016 saberá quanto vai receber o valor a ser gasto no ano inteiro.
Como citado na matéria anterior, o projeto de lei 060/2015 é uma adequação orientada pelo tribunal de contas do estado para regularizar o artigo 1º da lei 1.448/2012 destacando que deveria suprimir (retirar) a palavra “até”, ou seja, onde lê-se: “Vereador até R$5.000,00”, leia-se: “Vereador R$5.000,00”, e “Presidente até R$7.000,00”, leia-se:”Presidente R$7.500,00”.
Para o orçamento em 2016, a vereadora foi bem clara ao citar que ‘ainda não tem valor fixo, pois a contadora da prefeitura de Picuí precisa avaliar de fato como se comporta a questão financeira no orçamento da câmara’.
Atualmente o orçamento mensal está orçado em R$101.300,00 que é repassado para o legislativo municipal e, segundo Ednalva, ‘a prefeitura não pode deixar de passar esse montante para a câmara, pois é lei’.

Atualmente, o vereador em Picuí recebe R$4.500,00 e a presidente R$7.500,00 mensais segundo o SAGRES.

COMPARTILHE